quarta-feira, 09 junho 2021 10:06

Surfers Lab em Portugal é exemplo de sucesso no mercado de surf europeu

Empresa assistiu a aumento das vendas online...

 

Portugal tem visto um grande aumento no turismo de surf nas últimas duas décadas, oferecendo surf consistente durante todo o ano, clima quente e paisagens deslumbrantes.

É também aqui que encontramos a Surfers Lab, o braço retalhista do distribuidor português Surfcloud, com lojas em Sagres e Peniche / Baleal, que numa entrevista à Boardsport SOURCE falou sobre a história da empresa, como a pandemia tem afectado os seus negócios, e como vê o desenvolvimento do mercado de surf.

 

 

 

Conhece melhor esta empresa portuguesa, que é uma das maiores empresas de distribuição de surf na Europa, nesta entrevista.

 

 

 

Podes contar um pouco sobre a história da Surfers Lab?

A Surfers Lab começou em Sagres, um destino de surf muito conhecido no Sudoeste da Europa. Naquela época, não havia nenhuma loja focada em hardware e tínhamos uma grande demanda no nosso depósito de distribuição, então decidimos abrir a nossa própria loja. O nosso foco estava claramente nos hardgoods e abrimos com 300 pranchas, que, na altura, era a maior loja do sul de Portugal.

Desde então, abrimos uma segunda loja em Peniche / Baleal com uma aposta ainda maior nos hardgoods, que até agora se revelou a decisão certa.

 

  

Foto: facebook Surfers Lab

 

 

Fala-nos sobre as marcas que vendem. Quais foram as marcas e produtos que venderam bem no inverno passado?

Temos uma forte parceria com a Rip Curl na nossa loja de Sagres e uma maior variedade na nossa loja de Peniche. A Vissla, SISSTR, O’Neill, Quiksilver, Roxy, Oakley, Carhartt e algumas outras marcas representam a maior parte das roupas e fatos de surf que oferecemos. No lado dos hardgoods, a Firewire, DHD, Pyzel, Channel Islands, Lost, Ocean & Earth e a Shapers Australia são as que mais vendemos.

Neste inverno, de longe, a Firewire e a DHD foram as marcas de pranchas de surf número um e a O'Neill e a Rip Curl dominaram na categoria de fatos de surf.

 

 

O Governo e o Turismo de Portugal reconheceram a importância do turismo de surf para os resultados financeiros do país ... podes explicar a importância do turismo de surf para o vosso negócio em comparação com o comércio dos habitantes locais?

O sul depende muito do turismo e podemos ver isso nas vendas, principalmente de roupas. Continuamos a ter os nossos clientes locais e todos os estrangeiros que passam o inverno em Sagres apoiam a loja e continuaram a comprar todo o tipo de hardgoods, pelo que acabou por ser um bom inverno.

Por outro lado, em Peniche o turismo é uma parte importante do negócio. Existe um número muito maior de clientes locais não só de Peniche, mas também de Lisboa que fica a apenas 45 minutos de distância.

As vendas caíram obviamente, mas conseguimos manter os números ao longo do inverno com o aumento das vendas online / Facebook.

 

 

Foto: facebook Surfers Lab

 

 

Como é que a pandemia afetou os negócios? O que fez o governo português para ajudar as lojas como a vossa durante esta pandemia?

Conforme mencionado acima, as vendas caíram devido a menos turismo, mas, no geral, o aumento na demanda em todos os hardgoods compensou de alguma forma a perda no lado das roupas. O governo português tinha muito pouco apoio para o nosso segmento de mercado. O lay-off foi basicamente a única ajuda que recebemos do governo quando fechámos devido aos confinamentos.

 

 

 

 

“Estamos a investir no nosso site,

que esperamos lançar em alguns meses,

bem como em marketing digital.”

 

 

 

 

Que medidas tomaram para manter o vosso produto disponível para os vossos clientes durante os confinamentos?

Nós posicionámo-nos muito no Facebook e no Instagram e agora estamos a investir no nosso site, que esperamos lançar em alguns meses, bem como em marketing digital.

 

 

Foto: facebook Surfers Lab

 

 

Como é que garantiram o fornecimento das vossas próximas encomendas?

Falámos com todos os nossos principais fornecedores e eles garantiram que assim que receberem as mercadorias de verão iremos estar no topo da lista para receber as nossas encomendas. Também falámos com outras marcas para, de alguma forma, compensar a carência que podemos ter com os nossos fornecedores habituais.

 

 

 

 

“No geral, eu diria que as vendas de bens de consumo vieram para ficar,

enquanto o negócio de roupas sofrerá um pouco até que as coisas voltem ao normal.”

 

 

 

 

Como vêm o desenvolvimento do mercado de surf na próxima temporada?

Tudo depende de como a situação pandémica evoluir. Se entrarmos em mais confinamentos ou tivermos certos regulamentos, com certeza afetará o negócio. No geral, eu diria que as vendas de bens de consumo vieram para ficar, enquanto o negócio de roupas sofrerá um pouco até que as coisas voltem ao normal.

 

 

Itens relacionados

Perfil em destaque

Scroll To Top