segunda-feira, 08 novembro 2021 09:32

A vitória de Teresa Bonvalot e Maxime Huscenot no Azores Airlines Pro, em imagens e vídeo

 Registos do último dia de prova do Azores Airlines Pro

 

O dia final do QS Azores Airlines Pro, evento de qualificação da WSL masculino e feminino, começou no sábado dia 6 de Novembro logo pelas 8.30 da manhã, com ondas a variar entre o meio a 1 metro de altura nos sets na Praia dos areais de Santa Bárbara em São Miguel, Açores.

Para além do belo dia ameno de sol e água do mar a 22 graus centígrados, as ondas rolavam perfeitas para a esquerda e acabou por ser esse o cenário deste último dia de prova.

Na final feminina encontravam-se a Portuguesa Teresa Bonvalot e a veterana Francesa Pauline Ado. Teresa começou bem o heat, efectuando logo nos minutos iniciais uma onda (a sua 2ª melhor onda do heat) que lhe valeu 7,33 pontos em 10 possíveis. Teresa posicionava-se de uma forma perfeita no lineup e apresentava um surf de belo efeito com bottom turns bem pronunciados, efectuando curvas de topo de rail fazendo rodar o tail da sua prancha com bastante power e fluidez. Um surf lindíssimo da atleta Portuguesa e uma escolha de ondas perfeita faziam de Teresa uma vencedora imperial desta prova. O público na Praia ficava efusivo em cada manobra de Teresa e os festejos no final foram dignos de uma vitória de nível mundial de Teresa Bonvalot. Parabéns à Teresa e a todas surfistas Portuguesas que têm vindo a mostrar cada vez mais que são uma referência no panorama do Surf Mundial.

Já na final masculina estavam presentes os dois surfistas mais consistentes de toda a prova de cotação 5000 Australian: os Franceses Maxime Huscenot e Tristan Guilbaud. Surfistas que costumam viajar juntos para os eventos da WSL e que mantém uma relação próxima de amizade. Foi aliás notório esse pormenor quando ambos de abraçaram antes do inicio do heat final.

Apesar de ter começado equilibrada a final masculina, foi o surfista mais experiente, Maxime Huscenot, surfista patrocinado pela Marca Portuguesa Deeply que acabaria por vencer com distinção. Maxime efectuou a melhor escolha de ondas, surfando de Top do Bottom e somando na final 12,74 pontos contra 10,40 do seu compatriota e amigo Tristan Gulbaut.

 

 

 

Destaque para Mafalda Lopes e Francisco Almeida

Além da brilhante vitória de Teresa Bonvalot, interessa dar destaque a dois atletas portugueses cuja prestação foi louvável ao longo do campeonato, começando por Francisco Almeida. O jovem atleta teve uma perfomance consistente ao longo de toda a prova, tendo avançado até aos oitavos-de-final, onde acabou por perder (bem como Pedro Henrique e Vasco Ribeiro), mas não sem dar luta. Francisco Almeida e Vasco Ribeiro entraram no mesmo heat contra Timothee Bisso e aquele que viria a ser o campeão da etapa, Maxime Huscenot. 

Francisco Almeida está neste momento no 11º lugar do ranking do QS, à frente de Vasco Ribeiro e Pedro Henrique, ambos em 12º lugar. O ranking é liderado por Maxime Huscenot, e entre os 10 primeiros lugares, 8 são atletas franceses - as excepções são o inglês Patrick Langdon-Dark e Adur Amatriain, do País Basco.

A outra atleta portuguesa que merece destaque é Mafalda Lopes, que chegou às meias-finais e, apesar de ter perdido o seu heat contra Pauline Ado, fez a melhor onda da bateria, um 8,33 em 10 pontos possíveis, mostrando que não se iria embora sem brilhar primeiro.

Mas Mafalda já tinha mostrado o que valia bem antes disso, com a onda de 10 pontos que fez na ronda de 32 desta etapa. A atleta está agora em 3º lugar no ranking do QS, liderado por Teresa Bonvalot. 

 

 

  

Itens relacionados

Scroll To Top