Itens relacionados

sexta, 17 agosto 2018 14:27

GLIDING BARNACLES 2018

Tem lugar entre 28 de agosto a 2 de setembro, na Figueira da Foz…

 

Desde a primeira edição, realizada na Figueira da Foz em 2014, o Gliding Barnacles (GB) superou todas as projeções e conseguiu afirmar-se como um evento de surf inovador em Portugal, através da sua associação ao lifestyle e à cultura do surf clássico, com pranchas inspiradas nos anos 50, 60 e 70.

 

As características das ondas da região constituíram o ponto de partida e base de sustentação para o crescimento deste projeto em redor do surf clássico, onde o estilo, fluidez, diversão e comunhão com o mar sempre prevaleceram e se mantêm como valores maiores.

 

A vontade de apresentar muito mais do que uma semana de surf clássico não competitivo, passou por recuperar um modelo prestigiante de organização (o chamado ‘surf invitational’, que se desenvolveu a partir das ilhas do Havai nos anos 50).

 

Nesse modelo, a organização seleciona e convida um determinado número de surfistas oriundos de várias partes do mundo, que representam o melhor, em pranchas longboard, dos anos em questão, possibilitado também ao público presente, mediante inscrição, a partilha de ondas e experiências.

 

No sentido de diferenciar o GB dos modelos competitivos, aproximando a cidade ao mar de uma forma ecologicamente sustentável, e reconhecendo o potencial do universo estético e a forma de viver associada ao surf,o convite também incluiu criativos de todo o mundo relacionados com o surf, shapers, designers, fotógrafos e cineastas,aproximando todos aqueles que tornam a experiência no mar visível, testemunhável e permanente no tempo. 

 

Foi na praia do Cabedelo, na margem sul do Mondego, que se iniciaram as grandes competições de surf de nível mundial em Portugal: em 1996, há 22 anos, Kelly Slater ganhou aqui o seu quarto título, mas décadas antes já se surfava nestas ondas - Miki Dora surfou na Figueira da Foz e a prática do surf está documentada pelo menos desde a década de 1940 - e é com base nesta longa tradição que o convite do GB representa a identificação de uma comunidade com o lugar e com o mar, que abraça o surf como parte fundamental desta identidade, e que não depende dos calendários ou dos compromissos das competições internacionais. 

 

A organização optou, desde o primeiro dia, por assumir a diferença com exibições de longboard clássico, não competitivo, num convívio transversal entre a comunidade local e os convidados internacionais. O sucesso e mediatização do GB decorre da partilha de ondas, das experiências e diversão entre os intervenientes, o que permitiu estabelecer inúmeros contactos e boas parcerias com organizações de eventos internacionais.

 

Nestas incluem-se o Festival Motorbeach (Espanha), Waves & Weels (França), Hip Wigglers (Reino Unido), Single Fin Festival (Itália), Green Room Festival (Japão), Duct Tape Invitational (Califórnia, EUA), Deus Ex Machina Invitational em Bali, Indonésia, e o famoso Noosa Festival of Surfing que se realiza na Austrália.

 

Em 2018, pelo quinto ano consecutivo, este evento de celebração do mar, organizado pelo espírito colaborativo de dezenas de pessoas e que, ano após ano, promove a Figueira da Foz como destino privilegiado para a prática da modalidade a nível mundial, quer continuar a crescer e a consolidar-se, mantendo a sua identidade e o compromisso com os valores ecológicos e comunitários que nos projetaram como uma referência no calendário de surf internacional.

 

A semana de surf clássico mais esperada na Península Ibérica regressa entre 28 de agosto e 2 de setembro. Ao longo destes dias será também apresentado o resultado das diversas colaborações e residências artísticas que foram impulsionadas ao longo do ano, através das quais se procurou envolver a comunidade local, os novos criadores e os convidados internacionais, nos mais variados domínios artísticos.

 

Ao longo das últimas quatro edições do GB, o nível de surf apresentado superou sempre todas as expectativas, essencialmente porque a “palavra” - hoje não apenas no seu sentido oral e escrito, mas também no seu sentido digital - passou entre a comunidade nacional e internacional de surfistas, viajando entre continentes, atraindo entre os 25 surfistas convidados de 2017, um número cada vez maior de participantes internacionais como o australiano Beau Young, campeão mundial de longboard em 2000 e 2003, o japonês Hideki Jumbo Sakakibara, o mexicano Israel Preciado, ou a americana Karina Rozunko, vencedora do Malibu Surf Relik, a prova mais importante de longboard na Califórnia.

 

Para marcar estes cinco anos, um conjunto internacional de surfistas, fotógrafos, músicos e criativos de várias disciplinas, vão desenvolver um trabalho de colaboração durante a semana de 28 de agosto e 2 de setembro, que, segundo a organização, será incluído num documentário e livro a editar durante a 6ª edição do GB, em 2019.

 

O Gliding Barnacles 2018 é uma organização da Associação de Desenvolvimento Mais Surf e da Câmara Municipal da Figueira da Foz, com o apoio do Turismo Centro de Portugal e juntas de freguesia de São Pedro e de Buarcos e São Julião.

 

PROGRAMA:

Perfil em destaque

Scroll To Top