Itens relacionados

quinta, 29 janeiro 2015 16:25

ESTE VAI SER O ANO DE ANTÓNIO RODRIGUES

Surfista do Porto tem-se destacado nas ondas grandes.

 

Não o vemos por aí em competições e talvez por isso, às vezes, passe ao lado do destaque que merece. António Rodrigues tem 16 anos e é um dos jovens surfistas portugueses que mais tem dado que falar em free surf e principalmente em ondas grandes. Em 2014, da Papoa à Praia do Norte poucas ondas lhe escaparam.

 

Durante o campeonato mundial de surf, em outubro do ano passado, em Peniche, quando a Papoa distribuiu ondas, lá andou, lado a lado com Garrett McNamara, o jovem do Porto que não pensa muito em campeonatos. No mesmo mês, o surfista que faz parte da equipa da Jet Resgate tinha rumado à Nazaré para, sob o olhar atento de Carlos Burle, surfar mais umas ondas. Mais recentemente, António venceu a Bolsa Nova Geração do programa EDP Mar Sem Fim. Mérito não lhe falta e por isso, a SurfTotal acredita que 2015 vai mesmo ser o ano deste jovem.

 

Mas para António tudo começou há muito, muito tempo. "Comecei a surfar por influência do meu pai. Não me lembro de muitas coisas desse dia porque era muito novo, tinha uns 4 anos, mas lembro-me a primeira vez que me consegui pôr em pé na prancha, parecia um sonho, quando acabei a onda nem sabia se tinha sido real!", começa por contar. 

 

Para o jovem do Porto, o surf deve entrar na vida das crianças o mais cedo possível. "Quanto mais cedo tivermos em contacto com o mar melhor, e quer queiramos quer não, aprendemos sempre que entramos no mar", diz. Por isso, deixa alguns conselhos a quem está a começar: "Apenas para se divertirem sempre, e aproveitarem todos os momentos no mar."

 

Apesar de não ser dos surfistas mais conhecidos, a sua já longa jornada já lhe traz algum reconhecimento nas ruas. "Sim sem dúvida, principalmente dos amigos quer estejam ligados ao surf ou não, mas o desporto começa cada vez a ter mais visualização e a crescer e há cada vez mais gente a gostar e a interessar-se, também sinto que isso ajuda em muita coisa", conta. Mas afinal qual foi o momento mais engraçado que já viveu? "Talvez quando me pediram um autógrafo mais que uma vez num dia! Ahaha não estava muito à espera."

 

Apesar de tudo o que já fez, António não se sente "um ídolo para ninguém". "Só gosto de fazer surf e divertir-me em qualquer tipo de ondas, apesar de sentir muito apoio da parte das pessoas nunca me sinto um ídolo para quem quer que seja, até porque o nível hoje em dia está muito alto, quer nas ondas grandes como no surf de competição, ainda tenho muito para fazer e aprender principalmente", refere.

 

Para 2015, António confessa que tem como objetivos: "Surfar muito e evoluir cada vez mais! Aprender tudo o que posso e sem qualquer dúvida viajar cada vez mais!" Quanto a competições, fiquem atentos, porque quem sabe não o possamos ver no Circuito de Surf do Norte ou, caso volte a acontecer, na etapa da Liga Moche do Porto? 

 

Patrícia Tadeia

  • Créditos fotos: Hugo Silva e Luís Firmo e DR

Perfil em destaque

Scroll To Top