Lesão de Slater aconteceu em julho de 2017 e para já garantiu "wildcards" para 2018 e 2019. Lesão de Slater aconteceu em julho de 2017 e para já garantiu "wildcards" para 2018 e 2019. Foto: WSL/Sherman

Itens relacionados

quarta, 19 dezembro 2018 09:38

Kelly Slater empurra Caio Ibelli para lista de “alternates”

E Frederico Morais passa a ser segundo substituto… 

 

Ontem a Surftotal já divulgou a lista final de surfistas que irá compor a elite mundial em 2019 (vê aqui), deixando em aberto, uma vez que ainda não existia confirmação por parte da World Surf League, sobre quem seriam os dois “wildcards” que iriam garantir as vagas dos "wildcards". 

 

O que se passava é que existiam três candidatos, lesionados, para estas duas vagas. A saber: 

 

Kelly Slater - A lesão do norte-americano no pé é efetivamente a mais antiga (data de julho de 2017) e levou-o até a receber um “injury wildcard” para a presente temporada. Ora, acontece que este ano Slater nunca esteve a 100% e na verdade mostrou muito pouco. Desde a lesão falhou 12 etapas e este ano apenas competiu em três provas, J-Bay, Pipeline e Surf Ranch, andando sempre a adiar a recuperação. No entanto, como já tivemos oportunidade de escrever, Kelly é Kelly… o mais badalado surfista de todos os tempos… e sobre os seus ombros jazem 11 imponentes títulos mundiais.

 

Caio Ibelli - A lesão do brasileiro surgiu durante a terceira etapa do CT, em Margaret River (Austrália), numa sessão de free surf ao final do dia. Desde então Caio só voltou a competir na 11.ª etapa em Pipelin. Falhou 8 campeonatos.

 

John John - O havaiano magoou o joelho em Keramas, em junho deste ano. JJF é bicampeão mundial e um dos mais espetaculares da atualidade, mas está desde então sem competir e só este mês de dezembro voltou a surfar. No total falhou as últimas seis etapas. 

 

Hoje mesmo, em comunicado, a WSL informou que os “wildcards” por lesão para a temporada 2019 foram atribuídos a Kelly Slater e John Florence, deixando cair Caio Ibelli para a lista de surfista substitutos (alternates) onde ocupará a primeira opção. 

 

Isto significa que o português Frederico Morais passa a ser a segunda opção dos “alternates” e o australiano Ethan Ewing, que ficou uma posição abaixo do “cut” da Qualifying Series, a terceira. 

 

A explicação para esta escolha veio de Kieren Perrow, Comissário da WSL, que disse: “É sempre desafiante quando temos vários candidatos para um número limitado de vagas. Nós compreendemos a importância de pertencer ao tour e levamos o processo de seleção muito a sério. Tal como em anos anteriores, o processo passa por uma revisão médica independente que assenta na análise da gravidade da lesão e no impacto que esta tem no surf de cada atleta de forma a competir ao mais alto nível no Championship Tour. Nos três casos de 2018, todas as lesões foram severas que impediram os candidatos de surfar em múltiplos eventos. A partir daqui aplicámos o nosso critério técnico e os feitos alcançados na carreira, que inclui títulos mundiais, posição no ranking antes e pós lesão. Desta forma decidimos atribuir a John John e Kelly Slater os wildcards, sendo que Caio Ibelli será o primeiro da lista de substitutos - o que não é o normal para um terceiro candidato, mas neste caso é merecido”. 

 

No campo feminino vale também referir que o “wildcard” foi atribuído à australiana 2x campeã mundial Tyler Wright que ainda se encontra a recuperar e não compete desde julho. Na lista de opções, Keely Andrew (Austrália) e Sage Erickson (EUA) ocupam, respetivamente, os segundo e terceiro lugares. 

Perfil em destaque

Scroll To Top