Itens relacionados

terça-feira, 06 outubro 2020 17:54

ONDAS DE EXCELENTE QUALIDADE MARCAM O 1º DIA DO JUNIOR PRO ESPINHO DA WSL

Com ondas de qualidade superior, de 1m a 1,5m, teve hoje início o Junior Pro Espinho, na Praia da Baía...

 

 

Arrancou hoje a decisão dos títulos europeus de surf júnior

 

Com ondas de qualidade superior, de 1m a 1,5m, teve hoje início o Junior Pro Espinho, na Praia da Baía. O único evento europeu de surf júnior em 2020 vai definir os títulos desta categoria do surf profissional, emprestando à sétima edição do Espinho Surf Destination uma importância acrescida.

 

Respeitando todas as normas de segurança em tempo de pandemia, o evento teve direito a um pórtico desinfectante para análise de temperatura e higienização de todos os intervenientes, colocado à entrada da área de prova, uma novidade em eventos nacionais, cortesia da PortCov.

 

O primeiro dia, totalmente dedicado à prova feminina, teve início pelas 9h, com a primeira fase na água, a aproveitar as condições de gala que a tempestade Alex proporcionou. Destaque para a canária Lucia Machado, vice-campeã em 2019, para a francesa Juliette Lacome, para a alemã Rachel Presti, para as portuguesas Carolina Santos e Francisca Veselko e para a muito jovem basca Janire Etxabarri, que fez o maior somatório e a melhor onda da prova – 16,93 e 8,93, respectivamente.

 

“As ondas estavam incríveis,” afirmou Etxabarri, de 15 anos. “Acho que nunca tinha feito um campeonato com ondas tão boas, por isso foi só desfrutar e soltar o meu surf. Correu bem e espero que continue assim,” concluiu.

 

E continuou, uma vez que Janire voltou a fazer o maior somatório da segunda fase, disputada ao início da tarde, ainda com boas condições, embora com ondas ligeiramente mais pequenas. A melhor onda desta fase foi para Lucia Machado que, na mesma bateria, conseguiu o apuramento para os quartos de final, no último minuto.

 

Destaque ainda para a francesa Juliette Lacome, que também voltou a mostrar bom nível de surf, levando Carolina Santos consigo para os quartos de final. Carolina, que em 2019 alcançou o terceiro lugar nesta prova, é agora a única representante portuguesa nesta fase.

 

 

 

 

Vê aqui o free surf dos pros em Espinho.

 

 

 

 

“Gostava muito de repetir ou melhorar o resultado alcançado aqui em 2019,” afirmou a jovem surfista de Peniche. “As condições estavam mesmo muito boas hoje, por isso fiquei tão motivada e pronta para os próximos dias,” afirmou ainda.

 

Assim, das sete surfistas portuguesas em prova, quatro ficaram-se logo pela primeira fase (Maria Leonor Silva, Maria Chaves, Benedita Teixeira e Beatriz Carvalho), enquanto Francisca Veselko e Gabriela Dinis, que tinham feito uma dupla de sucesso no primeiro round, acabaram por perder no segundo, em 13º lugar ex-aequo.

 

O Junior Pro Espinho regressa amanhã, a partir das 8h30m, para o arranque da prova masculina, podendo acompanhar tudo através do site oficial da World Surf League, em www.worldsurfleague.com.

 

 

 

 

Perfil em destaque

Scroll To Top