Itens relacionados

quarta, 08 janeiro 2014 11:24

"O MAR É MESMO ASSIM, DÁ E TIRA"

A SurfTotal falou com Manuel Maia e Castro, da SURFAVENTURA, no rescaldo da tempestade "Hércules"

"O mar é mesmo assim, dá e tira". Foi desta forma que o responsável da SURFAVENTURA, em Matosinhos, descreveu a tempestade "Hércules", que gerou muitas expectativas no que ao surf diz respeito, mas na realidade acabou por ter efeitos nefastos, com ventos fortíssimos a impelirem o mar para terra, o que resultou em diversos incidentes ao longo da nossa costa. Foi no sentido de perceber o real impacto dos incidentes de segunda feira que falámos com Manuel Maia e Castro.

 

Já tens alguma ideia do valor dos prejuízos?
- Tenho já alguns valores, pois ficámos com algum material destruído: um computador portátil, 2 telefones, um router... depois temos ainda um chão de parquet flutuante (+/- 50m2) e um telemóvel. Temos ainda estragos sérios nas portas das instalações. Certamente haverá mais estragos irreparáveis. Valha-nos que realmente pranchas e fatos são à prova de água, senão era uma desgraça, já que a água entrou no nosso espaço e subiu a cerca de 1,5 metros de altura. Assim por alto e deveremos ter prejuízos na ordem dos €2000,00.

 

 

Contam com algum tipo de apoio para resolver a situação?
- De facto não fazemos a mínima ideia. A entidade que é responsável por estas instalações e pela gestão da praia - a Administração dos Portos do Douro e Leixões (APDL) - ainda não nos respondeu aos pedidos de ajuda que fizemos por email.

 

 

Foram os prejuízos mais graves de que te recordas?
- Sim, sem dúvida. Da outra vez o mar subiu menos de 1/2 metro e nem chegou a rebentar a porta de entrada... agora o mar entrou com força, e os detritos do Vagas Bar ,que ficou totalmente destruído, partiram a nossa porta e ficaram a 'atravancar' o nosso espaço. Além disso, as ligações da água e da luz existentes no exterior, ficaram também elas, totalmente destruídas.

 

 

Achas que se podia fazer alguma coisa de forma preventiva para evitar tantos danos, ou em casos como o de ontem, nada detém a força do mar?
- Claro que se podia fazer alguma coisa. Realmente na zona em que estão as instalações destes armazéns, não haverá como reter a entrada da água, mas pode perfeitamente colocar-se uma barreira protectora à frente da porta de entrada, (idêntico ao que já se faz nas casas ribeirinhas da zona do Porto) capaz de reter o impacto das ondas e assim minimizar os prejuízos.


Na SurfTotal desejamos a melhor sorte à SURFAVENTURA, e vamos continuar a acompanhar o rescaldo da tempestade, para avaliar a forma como impactou diversas empresas ligadas ao surf, em todo o território nacional.

 

 

 

 

 

 

Perfil em destaque

vimeo

 

 

Scroll To Top