Itens relacionados

domingo, 29 dezembro 2013 15:18

SOFIA SANTOS

"Os melhores surfistas na água são aqueles que se divertem mais"

Por Patrícia Tadeia

Foi a partir dos Açores que Sofia Santos, de 18 anos, nos respondeu prontamente. A atleta do Guincho Surf Team, que recentemente lançou um vídeo nas Maldivas, que podes ver aqui, confessou à SurfTotal que Bethany Hamilton é a sua grande inspiração. Mas ficámos a saber muito mais. Sofia partilhou connosco a sua amizade com Camilla Kemp e o seu fascínio por ondas grandes. Mas tudo isto veio, claro, depois de uma simpática introdução: "Espero que tenham tido o melhor Natal do mundo!". Esperamos o mesmo, Sofia! 

 

Nome? Idade? Local? Sofia Santos. 18 anos. Praia da Poça, S.João do Estoril
 
 
Estudos/Profissão? Escola Superior de Tecnologias e Artes de Lisboa, no curso de Design de Comunicação
 
 
Anos de surf? 6 anos 
 
 
Quiver? 5'5 5'6 5'7 - Boardculture
 
 
Porque escolheste praticar surf? Toda a vida fiz imensos desportos. Sinceramente não me lembro muito bem porque é que comecei a surfar ao certo, não tinha nenhum amigo que fizesse, nenhum familiar meu tinha tentado... Nem sequer me lembro de alguma vez ter olhado para as ondas e ter dito "quero tentar!" Foi um bocado do nada. Havia, e ainda há, uma escola de surf perto de minha casa, a Linha Surf School, do Rodrigo Herédia, e no verão de 2008 não fiz outra coisa senão passar lá os dias. Só sei que desde que comecei nunca mais pensei em mais nenhum dos outros 20 desportos que fazia. A verdade é que a minha vida mudou completamente e hoje em dia tudo seria muito diferente se não tivesse começado a surfar.
 
 
Praticas algum desporto complementar? Sim. De momento, faço treinos físicos complementares com o meu grande amigo e namorado Miguel Rosberg Graça, campeão nacional de bodyboard do ano passado. Partilhamos o mesmo gosto em estar no mar e em mantemo-nos o máximo possível activos. É ele que puxa por mim, sempre.
 
 
Pico preferido? Apesar das grandes mudanças que o ambiente de Ribeira D'ilhas sofreu a meu ver e de muitos, vai continuar a ser um sítio muito especial e claro, um pico preferido. Para além disso, gosto muito dos Coxos, da Pedra Branca, da Pontinha; resumindo, a primeira treinadora que tive, Joana Andrade, ensinou-me a adorar aquela terra da Ericeira. Cá por casa, nada se compara ao Guincho.
 
 
Última surfada memorável que tenhas dado? No fim-de-semana passado não era suposto ir para dentro de água porque estava doente e não podia piorar visto que 2ª feira vinha de férias para os Açores. Fui só ao almoço de Natal da minha equipa, o Guincho Surf Team, e depois eles foram surfar. Entraram no Pontão da Rata no Monte Estoril e eu fiquei sentada cá fora com os treinadores a ver. O swell era grande e as linhas iam entrando direitinhas e rebentavam com força no Pontão. Não aguentei, sempre tive um fascinio por mar grande. Liguei a minha mãe e implorei que me trouxesse uma prancha e um fato. Num minuto estava na água. Não houve grandes manobras nem assim tantas ondas apanhadas. Foi uma surfada memorável porque a minha grande companheira Camilla Kemp queria muito que eu entrasse mas sabia que eu não podia, e quando me viu lá dentro só disse "obrigada". Nós somos mesmo muito amigas, eu não a trocava por ninguém, e estávamos as duas em sintonia com o mar, a apanhar as maiores ondas que entravam, a partilhar algumas de mãos dadas e a rir das cambalhotas que dávamos sempre que entrava um set gigante. Inseparáveis, acho que é uma boa maneira de definir a nossa amizade. São estes momentos com ela que fazem as minhas surfadas memoráveis, sempre ouvi dizer que os melhores surfistas na água são aqueles que se divertem mais, acho que nisso nós ganhamos!
 
 
Maior susto? Já apanhei vários sustos, em mar grande, em fundo de rocha, em fundo de coral, por levar com a prancha, por ficar muito tempo sem respirar, por ser arrastada por correntes... Mas acho que nenhum assim tão grande que me tivesse ficado marcado para escrever aqui. Eu assusto-me e depois se está tudo bem, volto a tentar ir lá para dentro sem sequer me lembrar do que aconteceu.
 
 
Última viagem de sonho? Este verão que passou, tal como o anterior, estive nas Maldivas e sim, foram viagens de sonho. Mas 2014 quero mesmo tentar coisas novas e explorar sítios diferentes!
 
 
Competição ou freesurf? Desde muito cedo comecei a competir e até há pouco tempo atrás achava que se não competisse, não surfava sequer. Não me imaginava só a fazer freesurf só porque sim. O que eu gostava mesmo era de treinar e tentar sempre ser melhor para chegar a um campeonato e cumprir com o que tinha na cabeça como objectivo que, geralmente, era ir ao pódio. Sempre me irritou um bocado a expressão "o que conta é a prestação e não o resultado", bem nem por isso, visto que são os resultados que nos fazem atletas melhores ou piores. Achava eu. A meio deste ano 2013, aconteceram várias coisas negativas que todas juntas me fizeram desistir de competir e, consequentemente, de surfar. Tive que parar e repensar o que queria, pensar se tudo valia a pena, deixar de competir 'só porque sim' e sobretudo reaprender a gostar verdadeiramente de surfar. Com a ajuda da Camilla, do Miguel e da Rita Alhborn voltei a água, só para fazer freesurf. Apaixonei-me como quando tinha 12 anos. Voltei a treinar com os do Guincho e para o ano quero voltar a competir, como deve de ser, focada e dedicada!
 
 
Como está o surf actualmente? Em Portugal? Melhor que nunca! Somos não só dos melhores países da Europa como também dos melhores do mundo. Em destaque! Aconteceram muitas coisas este ano que nos puxaram para cima, como ondas que ganharam fama internacional, surfistas que andam a quebram recordes, atletas que andaram a ter resultados únicos, estamos em evolução como nunca visto.
 
 
Quem é a tua grande inspiração (nacional e internacional)? A minha grande inspiração internacional vai sempre ser a Bethany Hamilton... Nunca poderá haver melhor exemplo de força e determinação neste mundo. Os seus sonhos e os objetivos foram todos destruídos e não havia nem uma razão para continuar. Mesmo assim ela conseguiu deitar a baixo todos os fatores físicos negativos e por em prática os psicológicos positivos. Uma das minhas maiores ambições, não só no surf como também na vida em geral, é nunca desistir. Nunca. A minha inspiração nacional tem mesmo que ser o Frederico Morais, por duas coisas, trabalho e empenho! Só assim é que se consegue atingir o que se querer, vejam só onde ele já chegou. E só de pensar onde ainda irá chegar... Kikas, seguindo as passadas do Saca, é o exemplo mais perfeito a nível nacional do que um verdadeiro atleta deve ser.
 
 
Mensagem a deixar? "An arrow can only be shot by pulling it backward. So, when life is dragging you back with difficulties, it means that it's going to launch you into something great. So just focus, and keep aiming."
 
 
O que tens a dizer acerca dos 13 anos da SurfTotal? A SurfTotal é o site de referência para qualquer pessoa que faça surf. Todas as notícias, previsões, entrevistas e vídeos ligam-nos. Parabéns pelos 13 anos de um ótimo trabalho!!!

Perfil em destaque

vimeo

 

 

Scroll To Top