Frederico Morais a arrancar para um Backdoor bem apetitoso. Frederico Morais a arrancar para um Backdoor bem apetitoso. Foto: WSL/Tony Heff

Itens relacionados

terça, 30 outubro 2018 11:40

Kikas enfrenta Kelly Slater e Jordy Smith no regresso a Pipe

John John Florence e Caio Ibelli também estão de volta para o Billabong Pipe Masters

 

Com a divulgação do heat draw relativo à ronda inaugural do Billabong Pipe Masters, a última prova do World Tour (8 a 20 de dezembro), veio uma boa notícia: John John Florence, Kelly Slater e Caio Ibelli, que estiveram lesionados durante muito tempo esta temporada, estão de regresso à competição. 

 

A confirmar-se este cenário, estão desfeitas as dúvidas e os rumores que nos diziam que o bicampeão mundial John John só estaria de regresso à competição em junho de 2019. Seja como for, temos que aguardar para ver o que as próximas semanas reservam. 

 

Relativamente ao alinhamento divulgado, Frederico Morais encontra-se no Heat de abertura juntamente com Kelly Slater e Jordy Smith. Este é um confronto forte com Jordy Smith a ser um adversário sempre difícil de bater, mas resta saber em que forma estará efetivamente o 11x campeão mundial Kelly Slater - embora no palmarés em Banzai este registe um total de nove invejáveis vitórias (7x no WCT e 2X no QS Volcom Pipe Pro). 

 

Neste momento, o representante português na elite encontra-se em 21.º lugar, com 19645 pontos. Portanto, dentro da bolha de qualificação para 2019. No entanto, a concorrência é forte para a última prova e chega principalmente de Yago DoraJoan Duru e Matt Wilkinson. Após a etapa de Peniche estes surfistas ficaram mais juntinhos ao português e ocupam, respetivamente, as 22.ª, 23.ª e 24.ª posições do ranking. 

 

Em todo o caso, é de ter em atenção que outros seis surfistas podem ainda passar Frederico Morais nas contas do ranking. Falamos de Tomas HermesConnor O’LearyJessé MendesPat GudauskasIan Gouveia e Michael February. Os diversos cenários e contas encontram-se aqui

 

Caio Ibelli está finalmente de regresso ao WT, mas Adriano de Souza vai continuar de fora no seguimento da lesão sofrida em Supertubos. O campeão mundial de 2015 foi substituído por Miguel Pupo que entra no Heat 2. Faltam ainda atribuir dois “wildcards”

 

Na corrida pelo título mundial, disputada a três, Gabriel Medina torna-se campeão mundial se terminar em 1.º ou 2.º lugar na etapa. No entanto, se for afastado nas meias-finais (o que equivale a um 3.º lugar), Filipe Toledo e Julian Wilson têm uma hipótese precisando para isso vencer o campeonato. Caso Gabriel fique em quinto (1/4 de final) ou registe um resultado pior, Toledo e Wilson têm necessariamente que chegar à final (ficando em primeiro ou segundo) para levantar o troféu de campeão.  

 

ROUND 1

Heat 1: Jordy Smith (ZAF), Frederico Morais (PRT), Kelly Slater (USA)

Heat 2: Owen Wright (AUS), Yago Dora (BRA), Miguel Pupo (BRA)

Heat 3: Italo Ferreira (BRA), Joan Duru (FRA), Keanu Asing (HAW)

Heat 4: Filipe Toledo (BRA), Matt Wilkinson (AUS), Caio Ibelli (BRA)

Heat 5: Julian Wilson (AUS), Tomas Hermes (BRA), Wildcard

Heat 6: Gabriel Medina (BRA), Connor O'Leary (AUS), Wildcard

Heat 7: Wade Carmichael (AUS), Griffin Colapinto (USA), John John Florence (HAW)

Heat 8: Kanoa Igarashi (JPN), Sebastian Zietz (HAW), Michael February (ZAF)

Heat 9: Michel Bourez (PYF), Ezekiel Lau (HAW), Ian Gouveia (BRA)

Heat 10: Conner Coffin (USA), Jeremy Flores (FRA), Jesse Mendes (BRA)

Heat 11: Kolohe Andino (USA), Adrian Buchan (AUS), Joel Parkinson (AUS)

Heat 12: Willian Cardoso (BRA), Michael Rodrigues (BRA), Patrick Gudauskas (USA)

Perfil em destaque

Scroll To Top