Itens relacionados

quinta-feira, 30 janeiro 2014 09:19

CAPÍTULO PERFEITO: RODRIGO HERÉDIA ENTREVISTA FRANCISCO MENDES

Chegou a vez de Francisco Mendes ser entrevistado por um dos atletas que vão disputar o Capítulo Perfeito

 

Numa iniciativa inédita em que alguns dos surfistas mais votados pelo público foram desafiados a entrevistar os Embaixadores do evento, figuras bem conhecidas do panorama audiovisual português e amantes assumidos do surf. Desta vez, coube a Rodrigo Herédia, também ele uma personalidade bem conhecida do público, desempenhar o papel de entrevistador. Nesta conversa a dois, Francisco fala sobre a forma como começou a dedicar-se mais seriamente ao desporto que o apaixona e sobre a experiência de comentar, em direto, etapas do Circuito Mundial de Surf.

Rodrigo Herédia – Como apareceu o surf na tua vida?
Francisco Mendes – Eu vivi e cresci no Meco, junto ao mar, e sempre tive contacto com o bodyboard e com o surf. A primeira vez que comecei a ver o surf de forma mais intensa foi quando fui para a Costa Vicentina e conheci o pessoal da Escola de Surf do Litoral Alentejano (ESLA), nomeadamente o Flávio e o Hélio, que se tornaram grandes amigos meus. Desde essa altura – já lá vão uns 10 anos –comecei a levar o surf mais a sério, embora sempre tenha tido contacto com a modalidade desde miúdo.

 

Rodrigo Herédia – Qual a tua opinião sobre o Capítulo Perfeito e o modelo de convites por votos do público?
Francisco Mendes – Este evento revela que há pessoas em Portugal que pensam o surf e este estilo de vida de uma forma muito interessante e séria. Só vem provar que nós, portugueses, sabemos promover muito bem o nosso país, mais especificamente as nossas praias e a indústria do surf. Quanto ao evento em si, a ideia não podia ser melhor porque envolve todas as pessoas, não só da comunidade do surf mas também de fora, pessoas que lentamente começam a ficar curiosas em relação ao surf e querem saber quem são os surfistas escolhidos pelo público para participar nesta prova especial. É um evento transversal e abrangente, que traz muita exposição para os nossos surfistas e para as nossas ondas, o que é ótimo para a modalidade.

 

Rodrigo Herédia – Na tua vida profissional, estiveste e estás ligado a um programa de música na RTP, mas recentemente foste convidado a comentar a transmissão em direto do Circuito Mundial de Surf na FUEL TV. Como foi essa experiência?
Francisco Mendes – Tem sido uma experiência muito interessante. Confesso que a minha principal preocupação é comunicar o surf enquanto entretenimento e não na sua vertente técnica. Não sou assim tão especialista! (risos) Acho muito interessante convidarem surfistas, juízes, atletas e demais figuras do surf nacional para comentarem este tipo de campeonatos, o que acaba por enriquecer ainda mais o conteúdo das transmissões. Resumindo, foi uma experiência muito agradável que adorava repetir. É uma coisa que me dá imenso prazer fazer e acho que ainda tenho uma grande margem de progressão nesta área.

 

Rodrigo Herédia – Em que praias te podemos encontrar?
Francisco Mendes – Surfo muito na Costa da Caparica durante a semana, quando tenho um intervalo entre as gravações. Também costumo ir para Peniche, onde tenho amigos que me sabem receber muito bem. Mas sempre que posso vou lá para baixo, para a zona de São Torpes, na Costa Vicentina.
Costumo surfar nos Aivados, no Malhão, na Arrifana e em mais dois ou três spots que não revelo para não atrair muita gente! (risos)

 

Rodrigo Herédia – Qual a onda que mais gostavas de surfar?
Francisco Mendes – Posso dizer que a onda que mais gostei de surfar na vida foi a onda da Fajã de Santo Cristo. Primeiro, porque é um sítio paradisíaco e de uma energia incrível; depois, porque tive a sorte de apanhar um swell muito bom, em que as ondas estavam perfeitas, muito compridas e com muita parede para eu poder melhorar o meu surf. Agora, o sítio onde mais gostava de surfar? Talvez a Indonésia. Nunca lá fui e gostava de experimentar uma daquelas ondas mais agressivas. Acho que já está na altura de fazer isso.

 

O Capítulo Perfeito Powered by Billabong 2014 é patrocinado por Billabong, Kia, Moche, Meo e Red Bull e conta com os media partners Fuel TV, Jornal i, Mega Hits, Onfire, Surfline, SURFPortugal e Surf Total.

 

 

Perfil em destaque

Scroll To Top